Balanço patrimonial: encerre o ano com um relatório organizado

Balanço patrimonial como fazer

O ano está chegando ao fim e nada melhor – e mais importante – do que fazer um balanço registrando como andaram as suas finanças ao longo do período que passou, quais as decisões estratégias tomadas e como ficou a sua situação patrimonial.

O que chamamos de balanço patrimonial é uma das demonstrações contábeis obrigatórias para qualquer empresa do mercado e que deve relatar de forma fiel e precisa a situação financeira e patrimonial da companhia. Por meio dessa entrega, a empresa garante o cumprimento de uma de suas obrigações legais, evitando problemas e ainda obtendo um relatório revelador sobre sua situação financeira.

Pode parecer complexo, mas a verdade é que elaborar o balanço patrimonial pode ser mais simples do que você imagina e ainda gerar muitos benefícios para o negócio. Entenda como preparar o seu e quais as vantagens que a sua empresa terá com esse trabalho.
 

“Fechado para balanço”

 
Certamente você já leu um aviso desses em algum lugar. Pois estar “fechado para balanço” significa que a empresa está em momento de cálculos de sua situação financeira, prática realizada normalmente após o período de um ano.

Ou seja, estão fechando o seu balanço patrimonial, reunindo dados em um relatório que irá ajudar a equipe contábil a visualizar o posicionamento do negócio quanto a seus custos e bens no momento atual.

Para que esse relatório seja desenvolvido, vamos passar agora pela sua composição, para entender por quais pontos é formado:

Ativos: é tudo o que a empresa possui, sejam seus próprios bem ou produtos em estoque.
Podemos dividir os ativos em 2 tipos:
– Ativos circulantes – contas a receber de clientes, impostos a recuperar, itens em estoque, despesas do exercício seguinte.
– Ativos não circulantes – crédito com os sócios, investimentos permanentes, terrenos, máquinas, equipamentos, bens intangíveis.

Passivos: são as obrigações financeiras da companhia, ou seja, suas dívidas e contas a pagar.
Também são divididos em dois tipos:
– Passivos circulantes – contas a pagar a fornecedores, obrigações trabalhistas, obrigações tributárias, empréstimos, financiamentos, etc.
– Passivos não circulantes – empréstimos e financiamentos de longo prazo, contas a pagar de longo prazo, contingências trabalhistas de longo prazo, etc.

A partir do levantamento de ativos e passivos, chega-se ao patrimônio líquido da empresa.

Patrimônio líquido: é a diferença positiva entre os valores dos ativos e passivos. Em outras palavras, é o capital da empresa.

O resultado do patrimônio líquido revela muito sobre a companhia. Se apresentar um passivo maior que o ativo, deve mais do que tem em patrimônio. E se o ativo for maior que o passivo, mostra que é capaz de honrar suas obrigações financeiras.

Parece simples, não? Pois é, afinal, no dia a dia de uma empresa, o ideal é estar sempre acompanhando esse fluxo para ficar constantemente a par de como anda esse balanço. Mas para ter um resultado mais preciso e documentável, a ideia é fazer uma listagem formal dos valores investidos em estoque, matéria-prima, débitos com fornecedores, pagamento de funcionários, empréstimos e outras atividades e gastos efetuados. Ao final dessa listagem, obtém-se o resultado e é possível ter um panorama completo do balanço patrimonial.
 

A importância do balanço patrimonial

 
Existem duas finalidades básicas do balanço: a contabilidade financeira e a contabilidade gerencial. Isso significa que o documento irá ser tanto uma fonte de informação aos agentes externos – como governo, acionistas e instituições financeiras –, quanto um meio de auxiliar na tomada de decisões da gestão da companhia.

No entanto, é preciso reforçar que os dados apresentados pelo relatório devem ser extremamente transparentes e confiáveis, do contrário, de nada adianta o esforço. Para isso, deve estar de acordo com os padrões e boas práticas da contabilidade, seguindo à risca as normais legais, garantindo a total ausência de erros relacionados a valores e cuidando para que todas as informações sejam preenchidas, sem exceção e com total atenção.

Para simplificar esse processo e garantir mais precisão ao balanço, a dica é manter todas as contas e os registros organizados mensalmente, para que não acumulem para o fim do ano – algo especialmente importante para empresas de médio e grande porte, que possuem muitas movimentações. Essa atualização mensal lhe poupará de um grande trabalho e ainda contribuirá com a precisão das informações.

Agora, quer a dica de ouro diante de todo esse processo? Converse com um contador confiável e atribua essa função a um profissional 100% dedicado e experiente. Seja rigoroso e evite dores de cabeça. Seus resultados financeiros agradecem.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

37 − = 28