Cadastro Positivo: conheça mais sobre a boa reputação que estimula o crédito

Cadastro Positivo: conheça mais sobre a boa reputação que estimula o crédito

Ouvimos falar muito sobre os riscos e as consequências de se ter o nome negativado. Mas nem sempre temos notícias sobre a existência do cadastro positivo, um banco de dados que reconhece os bons pagadores. Ativo desde 2013, esse cadastro sempre teve pouca adesão, porém agora os bancos e empresas já podem incluir o nome de consumidores nessa lista sem necessidade de autorização prévia – o que já acontecia no cadastro dos nomes sujos. 

Para compor o cadastro positivo, são usadas informações de histórico de crédito que irão originar, então, uma nota de crédito, disponibilizada a bancos e ao comércio. Assim, quanto maior a nota, maiores as chances de se conseguir crédito a juros mais baixos. E aquele consumidor que não quiser que as suas informações sejam compartilhadas poderá pedir, a qualquer momento, a exclusão de seu nome do banco de dados.

O cadastro armazena informações de pagamentos de diversos compromissos financeiros – de contas de luz a cartão de crédito, incluindo outros empréstimos – e traz a data do início da dívida, valor das prestações, datas de vencimento e também a quitação. 

De acordo com a Febraban, são os bancos, empresas de serviços públicos e varejistas que deverão, por sua vez, passar as informações de pagamento dos consumidores para os birôs de crédito, sendo que estes têm a responsabilidade pela guarda e sigilo dos dados. 

Com essa iniciativa, o Brasil passará a seguir uma tendência internacional em análise de risco de crédito, assim como Estados Unidos, Alemanha, China e Austrália, entre outros países, valorizando o aspecto positivo da reputação dos consumidores. 

 

E quais os demais benefícios desse cadastro? 

 

Até há pouco, as informações sobre inadimplência de uma pessoa ou empresa eram o principal meio de avaliação para os credores na hora de conceder um empréstimo. E, assim, avaliar seu histórico de pagamentos ou a capacidade de assumir novos compromissos dependia de buscas mais complexas, com dados menos acessíveis, o que naturalmente dificultava a análise de crédito. 

Com o novo banco de dados, a expectativa é de que haja um estímulo à queda na inadimplência e um aumento do volume de crédito na economia, em consequência da alta na taxa de aprovação de crédito.

Segundo a Serasa Experian, a adoção dessa nova prática deve injetar R$ 1,3 trilhão na economia do país. Um impacto que envolve, entre outros fatores, a inclusão de 22,6 milhões de pessoas que hoje estão fora do mercado de crédito. 

 

Confira as mudanças promovidas pela implantação do cadastro 

 

Mais variáveis para o score: são mais informações disponíveis, que agora reforçam a formação do score pelos birôs de crédito. Nessas novas variáveis estarão incluídos os hábitos de pagamento dos clientes, pontualidade, gastos mais frequentes, comprometimento da renda, etc. 

Mais precisão para a análise de risco: uma maior quantidade de dados leva a um aumento da precisão das avaliações, o que pode impactar tanto nas taxas de juros praticadas quanto na redução da inadimplência.

Revisão das políticas de crédito: para aproveitar as oportunidades do cadastro positivo, as empresas devem rever alguns pontos de sua política de crédito, incluindo seus principais critérios. 

Dados negativos ganham mais relevância:por fim, a partir dos dados positivos, os dados de negativação tendem a se torna mais importantes e irão ajudar a compor um quadro mais amplo e complexo sobre o risco de crédito. Quer consultar empresas ou clientes para saber sua reputação e histórico de pagamentos? Então, aproveite os benefícios do Cadastro Positivo. 

 

Consulte também o site do nosso parceiro, Boa Vista SCPC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 3 =