Monitoramento de preços: fique de olho na concorrência

MONITORAMENTO DE PREÇOS: FIQUE DE OLHO NA CONCORRÊNCIA

A concorrência anda cada vez mais acirrada, sabemos bem disso. E já comentamos aqui no blog sobre como as marcas vêm se reinventado e buscando novas estratégias para se destacarem no mercado e continuarem atendendo com excelência às necessidades de seus clientes.

E uma das principais formas de driblar essa concorrência e buscar um posto de destaque é dedicar-se a monitorar os passos dos seus concorrentes, especialmente as estratégias adotadas, a qualidade dos produtos oferecidos e os preços praticados.

Neste texto, vamos focar na questão preço, apresentando caminhos para que você possa acompanhar de forma bem-sucedida as movimentações da concorrência. Assim, sua empresa tende a ganhar em competitividade e número de vendas, além de evitar a perda de clientes por conta de preços acima da média do mercado.
 

Consumidor: um público muito bem informado 

 
A informação está mesmo por toda parte e, diante disso, as possibilidades de escolha acabam sendo bastante variadas, o que faz com o preço seja um importante fator de decisão. Só para se ter uma ideia, no mercado global de e-commerce já são mais de 12 milhões de atuantes, entre varejistas de pequeno e grande porte. Assim, não há como negar que a competição anda bem agressiva e pedindo medidas inteligentes e eficientes.

É nesse contexto que o seu negócio deve se posicionar para conquistar uma vantagem dentro do seu mercado, seja online ou de forma presencial. O fato é que a disputa por preços, com a facilidade das pesquisas via internet e sites de comparação de compras, faz com que as empresas de comércio online fiquem ainda mais atentas a essa questão. Assim, uma novidade também se instaura: o dinamismo no ajuste dos preços, que podem ser modificados de forma a se sobressaírem de forma relâmpago no meio da concorrência.
 

Hora de monitorar a concorrência

 
Para isso, antes de mais nada, defina uma fase de organização para o seu monitoramento. Assim, você primeiramente elenca quais produtos irá acompanhar e de quais concorrentes. Esses produtos podem inclusive ser acomodados em subcategorias, como “mais vendidos” ou “mais anunciados”.

Lembre-se de que, para definir os concorrentes a serem observados, evite trabalhar com um volume gigantesco de empresas e marcas. Defina as principais, ou seja, as que representam uma concorrência mais direta ao seu produto e que compartilham o mesmo público-alvo do seu negócio.

Feito isso, o momento é de realizar a pesquisa em si: levantar os dados necessários para um comparativo de preços e sua evolução. Pesquise catálogos, sites, notícias e não deixe de fazer visitas às lojas da concorrência. Afinal, não são só os preços que interessam, mas toda a experiência oferecida pelo seu concorrente – o que pode gerar muitos bons aprendizados para a sua marca.

Mais uma vez, parta para a organização: coloque em uma planilha ou arranje seus dados de forma a construir um documento editável e de fácil consulta sempre que precisar. Inclua nesse documento as características do produto pesquisado, maior e menor preço encontrados, média de preços, forma de abordagem dos concorrentes, entre outras informações relevantes. E não se esqueça de que você deverá atualizar esse conteúdo periodicamente.

Com as informações organizadas e a avaliação desses dados iniciada, procure identificar: pontos fortes e fracos do seu negócio, possibilidade de lançamento de novos produtos, quais ações podem ser realizadas para alavancar as vendas e como definir preços mais atraentes para o consumidor final de acordo com as suas possibilidades. Para isso, avalie seus custos, público-alvo e, claro, lucro possível sem, com isso, afastar os clientes.
 

Checklist da sua análise:

 

  • Qual o preço mínimo, médio e máximo cobrado pelos concorrentes?
  • Qual concorrente costuma oferecer maior risco para o seu negócio?
  • Quais as oportunidades à vista e quando promover ações promocionais?
  • Será a hora de reajustar preços?
  • Como andam os preços dos seus fornecedores? Existe a possibilidade de reduzir esses custos?
  • Que tal automatizar esse processo? Busque soluções tecnológicas para auxiliá-lo.

 

Por fim, tome atitudes responsáveis

 
Você nunca deverá sacrificar a saúde financeira do seu negócio praticando preços abaixo das suas necessidades. Se o preço não puder ser reduzido, invista em outros diferenciais, como forma de pagamento ou mesmo uma experiência de compra mais prática e amigável.

Outra possibilidade é reduzir algumas margens de lucro de forma a atrair o seu consumidor até a sua loja e trabalhar para que ele também adquira outros itens, com margens melhores.

Ah, e fique atento, pois muitos fornecedores até oferecem valores promocionais, mas ainda não possuem o produto em estoque. Dessa forma, será preciso acompanhar também o processo de reposição e se ele é capaz de atender à demanda dos clientes do concorrente.

Por fim, que tal configurar notificações e alertas conforme os preços dos produtos forem se alterando? Assim, você tem otimingexato para agir, seja igualando preços, divulgando melhor sua oferta ou reduzindo os valores até um ponto adequado. Não seja vencido no preço! Evite que consumidores o abandonem por conta de valores inadequados. Faça um monitoramento preciso e conquiste grandes vendas.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 2 =