Por dentro da rotina de um CEO

Por dentro da rotina de um CEO

Assumir o comando de uma empresa exige talento, experiência, coragem. E, é claro, pode ser uma tarefa repleta de recompensas, levando-se em consideração o tamanho da responsabilidade que carrega esse gestor.

Mas a verdade é que o CEO é um profissional que, mesmo com todos os méritos colhidos por conta de seu sucesso, precisa equilibrar diversas obrigações corporativas enquanto encontra um balanço com sua vida pessoal, seu lazer, novas especializações, etc. Em resumo, o CEO deve ser um especialista também na administração do próprio tempo, construindo uma agenda produtiva e ao mesmo tempo saudável.

Seja em uma startup ou em uma grande empresa, o cargo de CEO demandará enorme dedicação. Vale, então, a reflexão sobre como alinhar sua rotina de tal forma que, ao final do dia, cada um desses grandes profissionais possa olhar para trás e dizer: “missão cumprida!”.
 

Visão geral e profunda da empresa

 
O papel essencial do CEO é entender o máximo possível de tudo o que acontece na companhia, contando com aliados especializados, que irão comandar áreas e executar tarefas mais específicas, reportando ao gestor tudo o que for fundamental. Com essa interação, o CEO ganha fôlego para tomar as decisões que lhe cabem.

Algumas delas são a garantia da sobrevivência financeira da empresa, a identificação de novos talentos – dentro e fora da companhia – e o desenvolvimento de uma cultura própria para o seu negócio, criando uma verdadeira personalidade para a empresa e atraindo colaboradores que se identifiquem com essa atmosfera. E não se pode negar que muito dessa personalidade se forma a partir do perfil pessoal e profissional do CEO.
 

Organizando a rotina

 
Para um dia a dia eficiente, o primeiro passo para um profissional é eleger suas tarefas prioritárias, uma máxima ainda mais importante quando se trata de um CEO. O líder de uma empresa deve ter, em média, cerca de três assuntos de altíssima prioridade para tratar ao longo do dia, evitando sobrecarregar-se com qualquer tema operacional que esteja fora dessa lista – para isso existem seus aliados e respectivos subordinados.

Entre as iniciativas que o CEO irá abraçar, ele precisa definir as que geram o maior impacto com menos esforço. Assim, trabalhará a favor de sua própria produtividade e, claro, fará essa eficiência se refletir pelas demais áreas.

E se um CEO busca a eficiência, utilizar ferramentas de apoio deve ser uma prática constante, afinal são tantas as reuniões e os compromissos que a possibilidade de esquecimento ou de falta de registro de dados é um risco permanente. Algumas das tecnologias mais usadas para driblar esses problemas são o clássico calendário do Google – e suas notificações programadas –, o Evernote e outros apps organizadores, como o AnyDo e o Wunderlist.

Agora, mais importante do que qualquer ferramenta tecnológica, neste caso, é o material humano que o gestor possui em sua empresa. Um time bem montado é, portanto, essencial para que o CEO possa gerenciar só as informações necessárias e, ainda assim, estabelecer uma comunicação eficiente com toda a organização. E é a partir dessas peças-chave que será feita a interface entre a liderança e a equipe operacional. Assim, terá também acesso aos anseios e necessidades de todo o seu time.

São também esses profissionais mais próximos do CEO que irão auxiliá-lo nas principais tomadas de decisão, fornecendo a ele informações relevantes, dados importantes e todo o conteúdo necessário sem que ele próprio tenha que buscá-lo em seu dia a dia. É dessa maneira que as decisões se tornam mais velozes e precisas, o que requer também muito do instinto, do talento e da experiência do gestor.
 

De olho na vida pessoal

 
Diante de tantas demandas, não é difícil acabar descuidando da vida pessoal. E estar atento a esse risco é um passo importante para evitar que isso se torne uma rotina.

Há CEOs que elegem dias da semana para encerar o expediente mais cedo ou um dia inteiro sem reuniões, por exemplo. E ainda que nem tudo em nosso dia a dia possa ser plenamente controlado, práticas como essas podem auxiliar o CEO a viver o seu momento de descanso ou lazer, ainda que imprevistos possam acontecer.

Nunca se pode esquecer que o CEO é uma peça estratégica fundamental. É a base, a estrutura da empresa, e carrega consigo a sua essência. Portanto, nada mais justo e benéfico do que garantir o máximo equilíbrio para sua rotina. Afinal, mentes tão talentosas merecem descanso para tomar as melhores decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 1 =