Trabalho remoto: aliando satisfação e produtividade

Trabalho remoto: aliando satisfação e produtividade

O número de empresas que aderem ao trabalho remoto vem crescendo no mundo todo desde o início dos anos 2000. E não é por acaso. Tanto as companhias quanto os profissionais vêm descobrindo os benefícios do trabalho à distância – nem que apenas umas ou duas vezes na semana –, como economia, produtividade, redução da necessidade de deslocamento, liberação de espaço nos escritórios e, claro, maior bem-estar na rotina dos colaboradores, só para citar alguns.
Pesquisas indicam que cerca de 70% dos profissionais pelo mundo ficam fora do escritório pelo menos uma vez a cada sete dias. Uma tendência facilitada – e muito – por novas tecnologias que contribuem com a organização dos profissionais, a comunicação à distância e o trabalho efetivo a partir de qualquer lugar.
Mas o que antes se resumia a apenas notebook, tablet e smartphone, vem pouco a pouco ganhando mais força com o advento de novas soluções: exemplos do Slack – uma plataforma que funciona como rede social, com salas de bate-papo e recursos de voz, vídeo e compartilhamento de arquivos –, dos já clássicos Google Docs e Skype, e do Appear.in – app de comunicação que gera links específicos para que os usuários acessem conversas distintas, em conferência.
Agora, nada disso importaria tanto, se as empresas não estivessem passando por um processo de transformação em sua mentalidade sobre o estímulo ao trabalho remoto. Cada vez mais aceito e bem visto, ele se torna uma forma de impulsionar a produtividade sem prejudicar a relação entre a empresa e o funcionário. E isso é possível a partir de algumas atitudes importantes, de ambas as partes.
 

Garantindo um dia a dia eficiente

 
Apoiar o trabalho remoto é uma forma de auxiliar os profissionais a darem o melhor de si e, em retorno, colher os frutos que essa satisfação irá oferecer a ele e aos negócios. Uma satisfação que tende a gerar uma identificação ainda maior com a empresa para a qual ele presta seus serviços, reforçando vínculos e conexões.

No entanto, é preciso garantir que essa nova forma de trabalhar seja adequada a todos os envolvidos – ou aos interessados nesse modelo –, a partir de alguns questionamentos e ações:

– O seu colaborador tem perfil para o trabalho remoto?
Avalie a capacidade de autogestão de cada profissional e certifique-se de que estão mesmo preparados para assumir uma rotina mais isolada.
 
– Qual a estrutura que o profissional possui?
Por mais atraente que o “ficar em casa” soe, é preciso ter uma estrutura compatível com um momento dedicado à rotina profissional. Filhos, família e distrações precisam ser conciliados adequadamente. Além disso, é preciso avaliar se a internet de casa – ou do local escolhido para o trabalho remoto – é eficiente, se o computador está em bom estado e se a comunicação à distância está garantida, com ferramentas de suporte bem escolhidas.
 
– Qual será a rotina do profissional?
Trabalhar de casa pode ser muito produtivo, mas saber a hora de parar deve fazer parte desse novo dia a dia. Com o escritório acessível a qualquer momento, é fundamental saber gerenciar o dia de trabalho da mesma forma realizada quando há o deslocamento até o escritório.
 
– Resultado é fundamental
Não adianta insistir em algo inovador que não esteja funcionando. Se a produtividade não estiver em alta, o ideal é retornar ao escritório. Nem todo mundo se adapta ao trabalho remoto, e isso não precisa ser um problema. Basta que o gestor observe como anda esse rendimento, inclusive à distância, por meio de métricas e avaliações.
 
– Aposte no equilíbrio
Ainda que o trabalho possa ser plenamente executado a distância, nunca deixe de lado alguns encontros presenciais para troca de ideias e principalmente para reforçar o vínculo e a identificação do funcionário com a empresa. Assim, a satisfação desses profissionais só tende a ir aumentando ainda mais.
 

O ERP: sempre um aliado

 
Se estamos falando sobre uma mudança que envolve o uso de novas ferramentas e tecnologias como base para que o trabalho, de fato, seja possível, não podemos deixar de citar as funcionalidades e os benefícios do ERP.

Essa ferramenta de gestão permite otimizar processos, reduzir retrabalho, mensurar produtividade e evitar a perda de informações, entre muitas outras vantagens. Por isso, torna-se ainda mais indispensável à rotina do profissional remoto, conectando-o a tudo o que fica armazenado no escritório de maneira muito mais simples – e isso independentemente da área à qual esse profissional atende ou responde.

Das Vendas ao RH, o ERP garante mais organização e eficiência aos processos, formando uma verdadeira rede colaborativa, mesmo à distância. Unido a outras soluções tecnológicas que otimizam o trabalho remoto, certamente irá trazer benefícios aos profissionais e às empresas.

Conte com a DEAK para escolher as melhores soluções que contribuam com a eficiência e o bem-estar do seu profissional. Esteja ele atuando dentro ou fora da empresa, temos a certeza de que produtividade não irá faltar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 54 = 55