fbpx

Ataque cibernético: o que é e como proteger os dados da sua empresa?

Ataque cibernético: o que é e como proteger os dados da sua empresa?

Não é de hoje que o alerta vermelho para ataques cibernéticos está aceso. Seja entre microempreendedores, CEOs de grandes instituições, a preocupação é a mesma: como proteger o banco de dados da minha empresa? 

E, com o crescimento do trabalho em regime de home office adotado nos últimos meses, crimes desta natureza vêm se tornando cada vez mais comuns. 

Embora novas leis e diretrizes avancem para deter ataques cibernéticos, hackers tentam a todo momento encontrar vulnerabilidades nos sistemas e bancos de dados das organizações para agirem.  

Nesse sentido, faz-se necessário que as empresas criem estratégias eficientes e seguras em relação à proteção de seus dados, backup e sistemas internos.

Continue lendo este artigo e aprenda tudo o que você precisa saber sobre o que é, como funciona um ataque cibernético e como você pode proteger os dados da sua empresa. 

As estatísticas sobre ataque cibernético não mentem 

O Brasil é o terceiro colocado em volume de ataques cibernéticos a dispositivos conectados à internet – de acordo com dados da Symantec, 9,8% de todas as ameaças detectadas na rede ocorreram no país. 

Um estudo recente publicado pela Fortinet, empresa especializada em segurança digital, registrou mais de 9,7 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos na América Latina, entre os quais 1,6 bilhão somente no Brasil

Um outro levantamento, realizado pela Trend Micro, chamado Fast Facts, revelou que o Brasil foi o quarto país com mais ameaças por e-mail detectadas no primeiro trimestre de 2020: 257,6 milhões de crimes. 

Em outro relatório da Symantec, um dado alarmante: a cada minuto, 54 pessoas são vítimas de ataques cibernéticos no Brasil

Com os poucos dados apresentados, a conclusão é simples: ao mesmo tempo em que avançam as iniciativas de combate a crimes cibernéticos, surgem novas vulnerabilidades, em um cenário similar ao de uma verdadeira guerra cibernética. 

E vence quem está preparado para lidar com ela!   

O que é ataque cibernético? 

Ataque cibernético é uma atividade criminosa que, prioritariamente, tem como alvo organizações empresariais ou governamentais. No entanto, pessoas físicas também estão entre as vítimas.   

Os autores deste crime, conhecidos como “hackers” ou “cibercriminosos”, tentam danificar uma rede ou sistema, por meio de fraquezas operacionais deixadas pelos usuários.

No caso de pessoas físicas, por sua vez, os objetivos por trás desses ataques podem ser pessoais ou políticos e também podem ser exigidos pagamento em dinheiro em troca da devolução das informações e arquivos pessoais. 

Através do sequestro de dados confidenciais e do acesso a informações sensíveis de empresas privadas ou instituições públicas, os criminosos visam, na maioria dos casos, lucrar com pedidos de resgate para devolução dos dados capturados. 

Como acontece esse tipo de crime? 

Os ataques cibernéticos não atingem apenas computadores ou smartphones. Conforme pautado no início deste artigo, eles visam, principalmente, empresas, governos, bancos, aeroportos e até mesmo hospitais. 

Além de roubar informações confidenciais, o ataque cibernético tem o poder de comprometer, por exemplo, o funcionamento completo de um serviço, causando prejuízos financeiros e transtornos imensuráveis.

Na maioria dos casos, a ação é muito simples: basta o seu colaborador clicar em um link malicioso para que, em seguida, o criminoso tenha acesso à sua rede e domine o seu sistema.

Quais são os ataques cibernéticos mais comuns? 

Levando em consideração todos os dados e informações que você processa diariamente em sua empresa, é preciso conhecer claramente quais são as principais ameaças e como você pode evitá-las. 

Veja, abaixo, alguns crimes deste tipo: 

  • Phishing: 

Geralmente é realizado através do e-mail, seja por meio de links ou anexos, no qual criminosos levam os usuários a revelarem informações sigilosas, incluindo senhas, dados bancários e CPF.

Esse crime está entre as principais técnicas usadas pelos hackers. Segundo a Cyxtera, cerca de 90% dos ataques cibernéticos começam com ações que utilizam essa prática.

  • Ataque a senhas:

Os hackers têm como foco a identificação de senhas para usá-las no acesso a informações, bloqueio de acessos e, até mesmo, troca de senhas.

  • Malware:

São aplicativos maliciosos ou softwares instalados na rede ou no sistema de uma empresa sem o consentimento do usuário.

Podem ser disfarçados em aplicativos tradicionais ou propagados pela internet por meio de links ou arquivos infectados. 

  • SQL injection:

Seu foco são os bancos de dados, e são acionados a partir do comando de pesquisa do tipo SQL. Assim, o usuário insere os seus dados de login e senha, que são capturados pelos responsáveis pelo ato malicioso.

Isso significa que os criminosos podem acessar diferentes tipos de dados confidenciais.

  • Ransomware:

Sequestro de dados mediante pagamento de resgate. Os acessos ficam bloqueados e a vítima recebe uma intimação para fazer o pagamento de  resgate, sob o risco de ter suas informações divulgadas.

Saiba mais sobre esse tipo de crime:

Ataque Ransomware: pedidos de resgate triplicam durante a pandemia

Considerado uma das maiores ameaças da atualidade, o ataque ransomware tem alarmado autoridades do mundo todo.

O ransomware pode ser traduzido como um sequestro de dados. Ao burlar mecanismos de segurança ou aproveitar o descuido de colaboradores, os hackers acessam sistemas de uma organização e os bloqueiam ou roubam. Para libertar os “reféns”, cobram resgate.

Apenas em 2020, houve um aumento de 311% nos pedidos de resgate por dados sequestrados, e pelo menos US$350 milhões de dólares foram pagos a grupos criminosos, segundo um relatório da Chainalysis, empresa que analisa o uso de criptomoedas em transações criminosas. 

O mais recente caso aconteceu em 23 de junho deste ano, quando o grupo de medicina diagnóstica Fleury, sofreu o ataque ransomware que deixou parte de seus sistemas indisponíveis e prejudicou significativamente as operações dos laboratórios. 

Esse ataque cibernético se soma aos outros dois ocorridos nos últimos meses: 

  • a JBS teve paralisadas suas processadoras de carne na América do Norte e na Austrália.
  • a Colonial Pipeline, que detém a maior rede de oleodutos dos Estados Unidos, teve o seu sistema de oleoduto completamente desconectado.

No caso da Colonial, o ataque bloqueou 45% do suprimento de combustíveis da costa leste americana, e a organização teve que pagar U$5 milhões em bitcoins não-rastreáveis para poder retomar o controle sobre seu sistema.

Como evitar um ataque cibernético? 

Apesar do aprimoramento das tecnologias e embora novas leis e diretrizes venham sendo criadas  para inibir crimes como esse, sua empresa precisa urgentemente se atentar para a questão da segurança de seus dados e informações. 

Afinal, além dos dados da sua própria empresa, informações de seus clientes também estão sob tutela dos seus sistemas. Caso sejam vazadas, podem gerar prejuízos irrecuperáveis.

Uma das principais medidas a serem adotadas pelas empresas quando se fala em proteção de dados é utilizar estratégias eficientes, como servidores na nuvem. 

E a melhor forma de armazenar todo o seu banco de dados em nuvem é por meio de um ERP seguro e eficiente.  

Garanta a segurança no armazenamento dos seus dados com o ERP DEAK

O ERP na nuvem é uma solução estratégica,  já que o provedor da tecnologia fica responsável pela segurança da plataforma, não a empresa contratante. 

Ou seja, se você contrata uma solução de um provedor comprometido com a segurança, tem a tranquilidade de saber que as informações da empresa e dos seus clientes não serão compartilhadas com terceiros e ficarão armazenadas em um servidor 100% seguro.

O ERP DEAK garante o mais alto padrão de segurança, pois utiliza o sistema em nuvem da Amazon (AWS), por meio da parceria estratégica com a Sky.One. Dessa forma, oferecendo todo o suporte necessário para pequenas, médias e grandes empresas. 

Por meio do ERP DEAK, você, gestor, tem total autonomia para  controlar os acessos às informações. Isso porque você consegue, através de um menu customizável, determinar quais funções quer que o seu colaborador acesse. 

Ou seja, você consegue garantir a integridade e a segurança das informações compartilhadas com todos que compõem o seu time.   

Outro grande diferencial é que, comparando com um servidor físico, o armazenamento na nuvem reduz significativamente as chances de colocar os seus dados em risco, além de reduzir custos operacionais, como energia elétrica, mantendo o servidor ativo 24 horas por dia, por exemplo. 

A tecnologia em nuvem é uma realidade para as empresas do mundo todo. Além de todos os quesitos segurança referidos neste artigo, um ERP em nuvem traz fatores como alta produtividade na otimização de processos, além da alta margem de competitividade e destaque em seu mercado de atuação. 

Saiba mais sobre o ERP DEAK e entenda como podemos te ajudar na segurança dos seus dados. 

Compartilhar

Artigos Relacionados

Fale com nossos especialistas e confira os diferenciais da DEAK

Cadastro Positivo

Avalie com precisão o crédito de seus clientes

Planilha de Controle de Estoque

Inscreva-se em nossa newsletter

Cadastre-se e receba conteúdos inéditos sobre Gestão