Segmentar para conquistar: entendendo bem o seu público

Em nossa matéria da semana passada, falamos um pouco sobre como o desejo dos consumidores vem mudando com o tempo e como é importante que o mercado se adapte a essas transformações. E também comentamos a respeito da necessidade de se entender as novas formas de segmentação entre os públicos, tarefa fundamental para a geração de ofertas certeiras.

Embora o assunto tenha sua complexidade, basta olhar ao nosso redor para perceber como essas mudanças se manifestam. Da mobilidade às novas formas de morar, das novas famílias aos novos hábitos de consumo. O mundo vem mudando, e o consumidor também. Cabe, então, às marcas estarem atentas a essa nova configuração para se reinventarem e continuarem atendendo aos anseios dos consumidores.

 
Num passado nem tão distante
 
Certamente você se lembra da onda das megalocadoras de vídeo. Locais que serviam tanto para retirar um bom filme para o final de semana – a ponto de clientes mais ansiosos ficarem aguardando a devolução do título ao lado da enorme prateleira –, como simplesmente para dar uma volta, conhecer os lançamentos, ficar bem informado.

Saudosismos, à parte, convenhamos: com os serviços on demand, não haveria mais espaço para essas megastores hoje em dia. Assim como as grandes livrarias, que também focavam em CDs e DVDs, já estão deixando de lado essa mercadoria para focar em games e em outros produtos que atualmente tem uma demanda maior.

Ainda assim, há empresas de ramos semelhantes que conseguem lidar bem com essas transformações e se reinventar junto com seu público. Um exemplo é a Amazon, que segue comercializando artigos de música, cinema, entre outros, oferecendo grande variedade de itens, mas agregando ao seu portfólio uma enorme diversidade de outros produtos, como peças de moda ou de prática esportiva, além de um supermercado físico que funciona sem caixas: o Amazon Go, em Seattle.

 
Mas como ser essa marca antenada e inovadora?
 
Com uma observação permanente do comportamento das pessoas, atenção às pesquisas e, claro, muita criatividade, é possível segmentar bem o seu público-alvo e oferecer, além do esperado, ainda mais inovação.

 
Confira algumas dicas:
 
Disseque suas pesquisas
 
Esses relatórios oferecem dados importantes sobre mercado, consumidores, fornecedores e concorrentes. E isso por uma razão: não basta saber muito sobre apenas um desses itens e ignorar os demais. Observe os detalhes de cada ponto, entenda como os seus concorrentes atuam, veja se o seu produto é só mais um entre os demais – isso vale não apenas para o que você vende ou produz, mas para como sua entrega é realizada e como seu atendimento é avaliado, por exemplo.

 
Foque no comportamento das pessoas
 
Onde e quando seus potenciais consumidores compram? Que marcas preferem? Que experiências vêm buscando? Aprofunde-se nesse universo: vá a campo, ouça as pessoas, entenda os seus desejos. O que veem? O que ouvem? Muito mais do que local onde vivem, idade ou gênero, as informações sobre como essas pessoas pensam e agem serão importantes para a “configuração” do seu público.

 
Transmita a mensagem certa
 
Nada mais frustrante para um consumidor do que receber uma comunicação que claramente não foi pensada para o seu perfil. Algo como enviar a um vegano radical um convite para a mais nova churrascaria da cidade. Mas a partir do conhecimento que você já tem sobre o seu público-alvo ficará mais simples transmitir a mensagem correta, falar de igual para igual e ser bem entendido.

 
Acredite na sua essência
 
Ainda que o seu posicionamento possa mudar e a sua empresa possa se adaptar às novas demandas do mercado, sua essência deve ser sempre a mesma. Ela é a sua razão de ser e é também ela que fará com que sua marca seja sempre mais inovadora e, acima de tudo, única.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 2 = 4